Mostrando postagens com marcador Eleições. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Eleições. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 28 de junho de 2022

Lula intensifica treinos e mostra disposição para disputar presidência da República, veja vídeo dele treinando

 O ex-presidente Lula, postou um vídeo em seu perfil no twitter, mostrando bom condicionamento físico.

Ele também diz que faltam 96 dias, em referência as eleições em 1º de outubro.

Foto Reprodução


Lula já provou que está pronto para enfrentar seus adversários e não tem medo de encarar novos desafios.

quinta-feira, 28 de abril de 2022

Pesquisa aponta que eleitores paulistas dariam vitória a Lula no primeiro turno

A pesquisa GovNet/OpiniãoPesquisa encomendada pelo Diário do Litoral, divulgada nesta quinta-feira 28/04 /2022, apontou o favoritismo de Lula nas eleições presidenciais deste ano.

Lula- Foto Ricardo Stuckert

Segundo os dados apurados, Lula lidera em todos os cenários, com ampla vantagem contra Bolsonaro

terça-feira, 26 de abril de 2022

Pesquisa BTG aponta diferença mínima entre Lula e Bolsonaro, confira a porcentagem

 A Pesquisa BTG divulgada hoje apontou uma diferença mínima entre Lula e seu principal adversário, Bolsonaro.

Imagem: Ricardo Stuckert/Alan Santos/PR/Pedro Ladeira/Folhapress


Nas intenções de voto no primeiro turno, Lula aparece com 41%, seguido por Bolsonaro com 32%.

Uma diferença de 9% entre os dois candidatos.

Em terceiro lugar aparece Ciro Gomes, com 9% dos votos.

João Doria do PSDB e André Janones do Avante tem 3% dos votos cada um.

Apesar da diferença pequena entre Lula e  Bolsonaro, Lula segue liderando nas demais pesquisas.


Veja a seguir os cenários testados para o 1º turno


Cenário principal:
Lula (PT): 41%
Bolsonaro (PL): 32%
Ciro Gomes (PDT): 9%
João Doria (PSDB): 3%
André Janones (Avante): 3%
Simone Tebet (MDB): 1%
Vera Lúcia (PSTU): 1%
José Maria Eymael (DC): 0%
Felipe D'Ávila (Novo): 0%
Luciano Bivar (União Brasil): 0%
Leonardo Péricles (UP): 0%
Nenhum: 6%
Branco/nulo: 2%
Não sabe/não respondeu: 1%

Cenário 2:
Lula (PT): 39%
Bolsonaro (PL): 31%
Ciro Gomes (PDT): 13%
André Janones (Avante): 4%
Simone Tebet (MDB): 2%
Felipe D'Ávila (Novo): 1%
Nenhum: 6%
Branco/nulo: 2%
Não sabe/não respondeu: 2%

Cenário 3
Lula (PT): 41%
Bolsonaro (PL): 32%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Eduardo Leite (PSDB): 3%
André Janones (Avante): 3%
Felipe D'Ávila (Novo): 1%
Nenhum: 6%
Branco/nulo: 1%
  • Não sabe/não respondeu: 1%
Fonte UOL

Por Kátia Figueira de Oliveira

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2022

Nota da Tribo/Ba sobre as "ELEIÇÕES NA BAHIA 2022"



ELEIÇÕES NA BAHIA 2022

Houve um tempo em que a Bahia vivia “embaixo do chicote”, quando as pessoas tinham medo e não podiam emitir opinião contrária aos mandatários da vez. Tempo que não queremos de volta, tempo que ficou para trás.

A Bahia a partir da primeira posse do Companheiro Jaques Wagner em de 1º de janeiro de 2007 e reeleição com posse em a 1º de janeiro de 2015 e passando o governo ao atual Governador Rui Costa que termina o seu segundo mandato ao final de 2022, mudou para melhor. O Estado deu um salto em qualidade de vida, com obras públicas em todas as regiões, emprego, respeito aos cidadãos e a liberdade de expressão é plena.

O Partido dos Trabalhadores vem realizando um trabalho no Estado da Bahia que se destaque no cenário nacional. No ano de 2020 a Bahia foi destaque nacional em índice de oferta de serviços digitais. Em 2021, a Bahia alcançou no setor de energia solar o primeiro lugar no ranking nacional. Em 2021, A Bahia teve 10 municípios se destacando nacionalmente na produção agrícola.

Em saúde, o Governo do Partido dos Trabalhadores é o que mais investe na área entre todos os estados da federação, chamando a atenção pelo bom trabalho que vem sendo realizado. Estradas, antes nunca asfaltadas, tiveram seus quilômetros pavimentados com malha asfáltica.

São tantos os benefícios que o Partido dos Trabalhadores com, Jaques Wagner e Rui Costa trouxeram para a Bahia que é imprescindível que este grupo político agora mude o rumo da história sem que haja um debate interno que defina o melhor para a Bahia e para o PT.

Há de se reconhecer o papel importante que os partidos que fazem parte da coligação que dão sustentação e que venceram as eleições tiveram ao longo dos anos, seja na manutenção do grupo, seja trabalhando pelo melhor para a Bahia.

Não é hora de mudar o rumo da história política da Bahia. Não é hora de projeto em detrimento de um projeto coletivo. O Partido dos Trabalhadores tem instâncias onde o debate deve ser aprofundado e não é através da imprensa com notas plantadas que se chega a uma solução que defina o melhor para a agremiação, para os partidos parceiros e para a Bahia.

O Partido dos Trabalhadores não pode abrir mão de uma candidatura própria neste momento em que Luís Inácio Lula da Silva precisará de palanques fortes por todo o Brasil.

O PT precisa discutir nomes que ampliem a votação, tanto para os candidatos a deputados estadual como os candidatos a deputados federal. É preciso ter uma bancada forte e coesa.

A Direção Estadual do Partido dos Trabalhadores precisa ouvir as vozes que chegam do interior do estado e que, a muito levantava o que se tenta desenhar agora com uma chapa ao governo do estado sem a presença do PT na “cabeça” com o companheiro Jaques Wagner.

O Partido dos Trabalhadores não pode e não deve abrir mão do projeto de continuar transformando a Bahia para o bem de todos os seus moradores.

Quem decide candidato e qual o cargo ele vai disputar no PT são as instâncias partidárias.

 

Salvador, 27 de fevereiro de 2022.

 

 

TRIBO

Tendência interna do Partido dos Trabalhadores

 

domingo, 5 de dezembro de 2021

“Tamos juntos”, diz João Leão a Wagner


Na sexta-feira, 03, o Governador da Bahia Rui Costa esteve na cidade de Xique-Xique no Oeste do estado para inaugurar a ponte que liga a cidade a Barra com 1 km de extensão. Ela foi construída sobre o Rio São Francisco.

Estavam presentes deputados estaduais, federais, prefeitos da região, senadores Otto Alencar e Jaques Wagner, além do governador Rui Costa. Mas quem chamou mesmo a atenção no quesito “política” foi o vice-governador João Leão ao discursar.

Chapa Lula-Alkimim seria o último grande erro de uma grande geração



A confirmação da chapa Lula-Alckimin será o último grande erro da esquerda contemporânea desde o itinerário de erros que repercutem primitivamente em 2013 e o fenômeno do "ensaduichamento social", com a captura das camadas médias pela anti-política devido sua estagnação social em meio ao enriquecimento da burguesia e ascensão das camadas populares nos governos petistas, como resultado da inexistência de uma reforma tributária progessiva que aumentasse a isenção de impostos para a classe média assalariada.