quinta-feira, 10 de março de 2022

Depois de repassar R$101 bi a acionistas, Petrobras reajusta preços de gasolina, diesel e gás de cozinha com alta de 24%

 A Petrobras segue a linha do governo em poupar empresários enquanto suga o dinheiro do trabalhador.

O reajuste dos preços dos combustíveis anunciados hoje, não deveriam ocorrer, pelo simples fato que a empresa usou o dinheiro que deveria suprimir este aumento para pagar acionistas acima da porcentagem legal.

Vamos entender o que houve?

A Petrobras registrou um lucro de R$ 106 bilhões em 2021, um aumento de 1.400% em relação ao ano anterior.

Tudo isso, graças as políticas de reajuste de preços que fizeram com que o valor do gás de cozinha, diesel e gasolina disparassem durante o ano todo.



O problema é que esse lucro não foi investido na empresa, ele foi distribuído para os acionistas. Por conta disso o Senado convocou o general Joaquim Silva e Luna, presidente da Petrobrás para prestar esclarecimentos no último dia 08/03/2022.

O Senado reconhece que esse valor excede a obrigação legal de distribuição de lucros que é na margem dos 25%.

O senador Jean Paul Prates, ainda fez uma colocação bem pertinente no relatório:


"Especialmente diante de eventos recentes de instabilidade internacional, questiona-se qual papel a Petrobras planeja desempenhar adiante. Em decorrência dessas sucessivas turbulências, que prejudicam a confiabilidade da empresa e afetam seu valor de mercado e sua governança, é necessário reestabelecer a tranquilidade municiando a opinião pública com informações sobre qual o método e a política adotada pela empresa ou a proposta da empresa para distribuição de dividendos”.

E a resposta da Petrobras foi reajustar novamente o preço dos combustíveis e da gasolina, onerando o bolso do trabalhador para aliviar o bolso dos acionistas.

A explicação para o reajuste, aplicado hoje e que chega a 24% confirma a preocupação do senador.

"O Objetivo é reduzir a defasagem da estatal em relação ao mercado internacional".

A Petrobrás também menciona a guerra entre Rússia e Ucrânia, para argumentar que esse aumento é importante para manter o suprimento de combustíveis no Brasil.

Se esse valor de R$ 101 bilhões que foram distribuidos estivessem no cofre da Petrobras, esses aumentos não seriam necessários.

Mais uma vez o governo Bolsonaro escolhe quem vai beneficiar, e você é quem paga para manter os ricos cada vez mais ricos no Brasil.

Por Kátia Figueira de Oliveira