sábado, 19 de fevereiro de 2022

Implantação de Laboratório de Café impulsiona vendas da agricultura familiar no Sudoeste Baiano



O município de Barra do Choça, situado no território de identidade Sudoeste Baiano, tem altitude e temperatura ideais para a produção do café arábica. Nesse solo fértil foi instalado, pelo Governo do Estado, o Laboratório de Classificação Sensorial de Café, na Cooperativa Mista dos Pequenos Cafeicultores de Barra do Choça (Cooperbac), empreendimento rural que vem transformando a vida de agricultores e agricultoras familiares produtores de café. A ação resultou no aumento de cerca de 40% nas vendas.

Toda a produção da coopertaiva passa pelo Laboratório, onde são certificados e emitidos laudos técnicos, que habilitam o produto da Cooperbac para a comercialização junto a grandes marcas nacionais de café.

Nesta quarta-feira (16), o secretário de Desenvolvimento Rural (SDR), Josias Gomes visitou a Cooperbac, para conferir in loco o funcionamento do laboratório. A cooperativa, que conta com 324 cooperados e cooperadas, tem uma produção anual de 280 mil sacas de café. 

“Esta visita só reforça que quanto mais se investe na agricultura familiar, mais tecnificada ela fica e o resultado é o aumento de renda para agricultores e agricultoras, além da elevação da autoestima. Estou impressionado com toda a estrutura montada e a capacidade de gestão da Cooperbac, principalmente na produção de conhecimento, colocando jovens responsáveis pela qualificação do café produzido”, avaliou Josias.

Por meio do projeto Bahia Produtiva, o governo estadual já aplicou R$ 5,4 milhões na Coperbac, tanto na base de produção, aquisição de estufas e equipamentos e assistência técnica e extensão rural (Ater), quanto na implantação da Unidade de Processamento e Torrefação de Café, incluindo o desenvolvimento de embalagens e rótulos, e estratégias para o acesso a mercados.

O resultado pode ser conferido em números. Até 2017, a Cooperbac produzia 117 mil sacas de café por ano e incluía 150 famílias beneficiadas. Atualmente, produz 280 mil sacas de café por ano, contando com 324 famílias associadas e com quatro marcas registradas de café. Os cooperados chegam a receber renda mensal entre R$ 3 mil e R$ 8mil, cada um.

De acordo com a presidente da Cooperbac, Joara Oliveira, os investimentos para a construção do Laboratório de Classificação Sensorial de Café, inaugurado 2021, foram determinantes para potencializar o trabalho da cooperativa. 

“A gente agradece o apoio do Governo do Estado por nos ajudar a qualificar nosso processo produtivo, que tem gerado bons frutos, renda e transformações significativas no campo. Demos um salto em nossa comercialização a partir da implantação do laboratório de café, de maneira que aumentamos as vendas em cerca de 40%. De junho de 2021 até agora, os cooperados já venderam R$ 7 milhões de reais, do café cru, sem processamento”, observou Joara. 

Daniela Dias, Barista da Cooperbac, durante a visita apresentou algumas formas de preparo do café e destacou a importância de poder trabalhar num empreendimento em que ela pode colocar em prática os aprendizados de sua profissão. “A implantação desse Laboratório foi de suma importância, principalmente para nós jovens, que queremos ficar no campo, trabalhando e mantendo viva a produção do café de qualidade na Bahia”. Daniela também é técnica em Cafeicultura, formada pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), executado pela Secretaria de Educação do Estado. 

A construção do laboratório integra um conjunto de intervenções do Governo do Estado da Bahia, por meio do projeto Bahia Produtiva, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à SDR, com cofinanciamento do Banco Mundial.f