domingo, 14 de novembro de 2021

Sem Bolsa família, emprego e com inflação crescendo todos os dias, brasileiros disputam alimentos com urubus enquanto Bolsonaro passeia em Dubai

 Quando Bolsonaro assumiu o governo ele deu um jeito de destruir todas os direitos dos trabalhadores conquistados ao longo dos anos.

Incentivado por seu ministro da economia Paulo Guedes, Bolsonaro passou a retirar benefícios que garantiam empregos e renda, principalmente para a população de baixa renda.

Foto: João Paulo Guimarães-Metropoles

Com a reforma trabalhista e a inclusão do trabalho intermitente e a famosa carteira verde e amarela, muitos trabalhadores foram demitidos, sem terem seus benefícios assegurados, porque o governo pensou apenas em aliviar as despesas do "Patrão", penalizando o trabalhador.

Outros setores foram prejudicados, como as pesquisas, a educação e a saúde. O Governo implantou sigilo nos dados públicos e o país afundou na hiperinflação.

Com a pandemia e a crise econômica, milhões de brasileiros perderam seus empregos e suas fontes de renda, saindo da pobreza para a miséria absoluta.

Preços exorbitantes dos alimentos e itens como gás de cozinha, gasolina e energia elétrica pesaram no bolso dos trabalhadores, fazendo com que muitos fossem morar na rua.

Embora o governo insista que tenha feito algo, a fome avançou no pais e o levantamento mais recente da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan) indica que no total 19,1 milhões de cidadãos se enquadram neste perfil, ou 9% da população brasileira.

Cerca de 116,8 milhões estão em algum grau de insegurança alimentar — leve, moderado ou graveE com o fim do bolsa família, muitas famílias agora só encontram nos lixões um lugar para saciar sua fome e de sua família.

Cenas de famílias inteiras disputando espaços com urubus no meio do lixão tomaram as redes sociais nos últimos dias.

Se a fila do ossinho já era considerada degradante, o que falar de pessoas comendo restos jogados no lixo?

Crianças e adultos se espalham nos lixões em busca de alimentos ou algo que possa ser vendido e se tornar em renda.

Enquanto isso, Bolsonaro passeia em Dubai com seu filho na comitiva, se hospedando em hoteis luxuosos e ignorando o que passa com seu povo. Para quem se dizia patriota e cristão, usando de discursos demagogos para enganar o povo, Bolsonaro segue com sua meta. Instituir o caos e se beneficiar o quanto pode, blindado pela elite, banqueiros, empresários e religiosos corrompidos pelo dinheiro.

E ao povo, sobra tentar sobreviver até a próxima eleição, onde finalmente poderão se livrar deste presidente incompetente.

Por Kátia Figueira de Oliveira

Fonte: Metrópoles