quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Safra de acerola em Sobradinho deve aumentar até 60%



Em tempos de pandemia e surtos de gripe, as pessoas estão buscando, cada vez mais, fortalecer a imunidade e algumas frutas ajudam nesse processo, a exemplo da acerola, uma fruta pequena, mas muito rica em vitamina C. Agricultores familiares de comunidades rurais do município de Sobradinho, Território de Identidade Sertão do São Francisco, apostam na produção da fruta.

Por lá, a safra da acerola promete ter um aumento de mais de 60% neste ano. A colheita dos filiados à Cooperativa Agroindustrial Vale do Paraíso (Cooperparaíso) teve início no último mês de novembro. A previsão é que termine no próximo mês de maio e alcance 700 toneladas. No ano passado, foram colhidas 450 toneladas da fruta.

A Cooperparaíso se destaca no mercado orgânico com a produção de 200 hectares de acerola, que é vendida, in natura, para a multinacional Sono Brasil, empresa inglesa com sede no município baiano de Nova Soure. A multinacional é responsável pelo processamento de frutos tropicais e transforma a acerola em vitamina C, para o mercado europeu.

O Governo do Estado, por meio dos projetos Pró-Semiárido e Bahia Produtiva, investiu cerca de R$ 6,2 milhões na cooperativa. Os recursos foram direcionados para a requalificação da Agroindústria Polivalente de Frutas, estruturação da base produtiva, construção de adutoras, apoio à gestão e produção, equipamentos, máquinas, assistência técnica e extensão rural (Ater), entre outros investimentos.

Com os recursos aplicados foi possível lançar uma linha de sucos concentrados de acerola, com 70% de polpa e 30% de água, levemente adocicados e orgânicos e também sucos de manga, com 90% de polpa, sem adição de açúcares. Os produtos são vendidos na região ou sob encomenda.

A agroindústria representa o fortalecimento do sistema produtivo da fruticultura irrigada e beneficia 232 agricultores familiares que produzem frutas na região, gerando uma renda mensal de até R$5 mil.

De acordo com o presidente da cooperativa, Josivan Souza, as expectativas para 2022 são as melhores. “Os agricultores estão incentivados a aumentarem o plantio e a ingressarem nessa nova atividade, mais rentável. A receita da cooperativa, que no ano passado foi de R$1,5 milhão, deve aumentar para R$2 milhões”.


Benefícios

Além de favorecer os agricultores e agricultoras familiares, que avançaram na comercialização dos produtos, quem se beneficia com a safra de acerola e de outras frutas, deste período, como maracujá e umbu, são os consumidores. De acordo com o nutricionista do Instituto de Assistência Multidisciplinar Especializada (IAME), Tom Fraga, o consumo das frutas, nas suas diversas formas, ajuda desde o trânsito intestinal, envelhecimento precoce ao tratamento do diabetes, e também a melhoria da imunidade.

“São frutas ricas em fibras e em minerais, como cálcio, potássio, magnésio, zinco. Em vitaminas A e C e algumas vitaminas do complexo B. As vitaminas têm funções que auxiliam o fortalecimento do sistema imune, favorecendo assim o combate a gripes, resfriados e a possíveis infecções que possamos vir a ter. Então, são frutos magníficos, muito ricos e que devem estar presentes sempre que possível, no nosso dia a dia”, destaca Tom Fraga